Roda de engatilhamento contínuo através de correspondências afrográficas 

e registros audiologovisuais em torno do drible, do crime e da afropresença.

Eu sou o terceiro milênio. Por Saskia, Negro Leo e Bernardo Oliveira.